Sujeira debaixo do tapete: chuvarada leva fezes humanas para a areia da Jatiúca

Línguas negras envergonham os alagoanos, problema persiste, piorando sempre após fortes chuvas na capital.

178

A chuva que caiu na madrugada desta terça-feira (17) em Maceió, não serviu apenas para amenizar o forte calor que estava na capital alagoana no feriadão que passou, elas também tiraram debaixo do tapete da ineficiência dos gestores públicos a sujeira e o descaso que envergonha todos os Alagoanos à décadas.

Como ocorre sempre após um temporal, a faixa de praia próxima a saída das águas pluviais, localizada no limite entre a Ponta Verde e a Jatiúca, receberam toda a imundice do subterrâneo, formando a vergonhosa língua negra. O mar perdeu sua cor e seu brilho, uma sombra escura e de forte mal cheiro invadiu o vários tons de verde e azul característicos das nossas praias urbanas.

As águas em suas margens perderam a transparência, ficaram turvas ao ponto de não enxergarmos o que havia no fundo, mas o que chamou a atenção de todos os banhistas que se arriscavam em tamanha podridão, foi a quantidade de fezes humanas, que com o movimento das marés foram jogadas na areia, fechando o ciclo de imundice que se encontrava uma das praias mais bonitas do Brasil.