Assistência Social libera auxílio-moradia e cartões alimentação às famílias da Orla Lagunar

0

Benefícios eventuais garantem qualidade de vida para pessoas que estão em vulnerabilidade social

A Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) liberou, nesta quinta-feira (30), os cheques do auxílio-moradia para o pagamento do aluguel social a 560 beneficiários em Maceió. Dessas famílias, 52 são moradoras da Orla Lagunar, e foram contempladas com o cartão alimentação no valor de R$ 300,00. Os pagamentos foram efetuados na sede do Centro de Atendimento Socioassistencial (Casa), no bairro do Prado.

Integram os beneficiários famílias de pescadores e marisqueiras que estão sendo realocadas de comunidades ribeirinhas que margeiam a Lagoa Mundaú para o Residencial Parque da Lagoa, com data prevista de entrega para dezembro.

Um dos moradores é o pescador Embs José da Silva Luz, de 27 anos, que recebeu o valor total de R$ 550,00, equivalentes à liberação dos dois benefícios eventuais. Embs vive da pesca na Lagoa e morava com a esposa e a filha na região.

“Esse valor vai ajudar a pagar o aluguel da minha casa e fazer as minhas compras. Aos poucos, a gente vai vencendo. Esse aluguel social está ajudando muito a gente. Batalhando, com fé em Deus, a gente vai ganhar nossos apartamentos”, fala Embs, com entusiasmo.

Outra contemplada é a estudante do segundo ano do ensino médio, Kécya Vitórya, de apenas 18 anos. Ela recebeu o ticket alimentação e diz que os R$300,00 vão ajudá-la a se alimentar com qualidade. Ela vai se mudar do barraco que vive na beira da lagoa e pagar a nova casa com os R$ 250,00 do aluguel social.

“Eu não tenho trabalho. Eu não tenho renda nenhuma. Minha mãe recebe do meu pai, mas tem os meus irmãos também. Essa ajuda vai nos ajudar a nos alimentarmos melhor e não passar dificuldades”, conta Kécya.

Auxílio-moradia

A técnica de Referência dos Benefícios Eventuais do Casa, Raabe Alcântara, informa que a liberação do auxílio moradia é feita a 560 famílias que estão sendo realocadas. O benefício atende áreas como a Orla Lagunar e a Ecovia Norte. Além de quem vive em vulnerabilidade, em situação de rua; ou que foram encaminhados pela Defesa Civil, já que essas familías precisavam se retirar de áreas de risco de deslizamento de terra. O valor do auxílio-moradia é pago em seis parcelas de R$ 250,00, podendo ser prorrogado pelo mesmo período.

“Essas famílias vêm encaminhadas dos serviços e passam pelo Serviço Social, pelo atendimento técnico. São verificadas as situações de vulnerabilidade e quais os benefícios que elas podem receber. Baseado na legislação, são feitas as inclusões e efetuadas as liberações dos benefícios eventuais. Nosso objetivo é proteger essas famílias, garantindo seus direitos básicos enquanto cidadãos”, informa Raabe.

Pensar na proteção social das famílias é o objetivo de Raabe Cavalcante, técnica de Referência dos Benefícios Eventuais. Foto: Ascom Semas

Cartão Alimentação

A técnica enfatiza ainda que, em paralelo, o Casa está fazendo a liberação, por etapas, dos cartões alimentação para as famílias da Orla Lagunar, em parceria com organizações da sociedade civil para complementar a renda dessas famílias.

“A ideia é que essas famílias possam estar numa casa, amparadas, tendo o direito à habitação e à alimentação. Estamos liberando hoje 52 tickets alimentação. A equipe da Assistência Social vem realizando esse trabalho também em outros equipamentos, em articulação com outras instituições. Tudo isso pensando na proteção social das famílias”, enfatiza Raabe.

No Centro, por conta da pandemia, para evitar aglomeração, a liberação dos tickets alimentação está sendo conduzida por etapas. Foram liberados até agora 115 cartões alimentação, sendo 52 nesta quinta-feira (30) e 63 na última segunda-feira (27). 12 pessoas faltaram nas duas entregas.

Uma nova data será anunciada para a concluir a distribuição das cestas básicas digitais restantes. Até o momento, em um total de duas mil famílias, 1.950 já tiveram acesso ao benefício eventual. A ação tem o apoio da Prefeitura de Maceió e é uma iniciativa da organização social Gerando Falcões, fruto do Programa “Corona no Paredão, Fome Não!”.

Cícero Rogério/Ascom Semas

Fonte: Prefeitura de Maceió

COMPARTILHAR