Saúde inicia nesta sexta-feira (1º) Campanha de Multivacinação para crianças e adolescentes

0

Até 29 de outubro, menores de 15 anos devem procurar unidades de saúde para atualizar a carteira de vacinação

A Secretaria de Saúde de Maceió inicia nesta sexta-feira (1°) as ações da Campanha Nacional de Multivacinação. A ação foi lançada ontem (30) pelo Ministério da Saúde e visa a atualização da carteira de vacinação de crianças e adolescentes de 0 a menos de 15 anos (14 anos 11 meses e 29 dias). A campanha pretende aumentar a cobertura vacinal, evitando a volta de doenças que já estão erradicadas.

Foto: Marco Antônio/Secom Maceió

Estarão disponíveis nas unidades de saúde as vacinas BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre amarela, Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Os adolescentes, especificamente, deverão tomar as vacinas HPV, dT (dupla adulto), Tríplice viral, Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada), seguindo a marcação que ainda não foi atualizada na caderneta de vacinação.

“Em Maceió, estas vacinas estarão disponíveis em todas as unidades de saúde, exceto a vacina BCG, que estará disponível apenas nas unidades de referência para reduzir as perdas de doses por validade após abertura do frasco”, explica a gerente do Programa Nacional de Imunização em Maceió, Eunice Amorim.

Ela chama a atenção dos pais para que compareçam às unidades de saúde com os filhos menores de 15 anos para atualizar as cadernetas e garantir sua imunização.

“É fundamental que os pais fiquem atentos aos prazos marcados na carteira de vacinação dos filhos. Em decorrência da pandemia, a cobertura vacinal do público infantojuvenil teve redução de 20% a 30%  em Maceió, conforme o imunizante, e essa conduta pode resultar na volta de doenças que estão erradicadas no Brasil devido às vacinas. É muito importante vacinar as crianças e os adolescentes para que doenças graves, como a paralisia infantil e o sarampo, por exemplo, não voltem a afetar nossas crianças”, alerta Eunice Amorim.

Exemplo para o mundo

A atualização da situação vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e óbitos. A mobilização nacional é uma estratégia adotada pelo Ministério da Saúde e é realizada com sucesso desde 1980. A campanha acontecerá em todo o território nacional.

“A vacinação é a intervenção mais custo efetiva de saúde pública que nós temos. É segura. Salva vidas. É preventiva. Essa campanha de multivacinação que o Brasil está fazendo é um exemplo para nossa região, para o mundo, de que nós podemos fazer diferente”, destacou a representante da Organização Pan-Americana da Saúde/OPAS/OMS no Brasil, Socorro Gross, na cerimônia de lançamento da campanha nacional.

Todas as vacinas que integram o Programa Nacional de Imunizações (PNI) são seguras e estão registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os dados preliminares das doses aplicadas serão divulgados no LocalizaSUS.

Ascom SMS com informações do MS

Fonte: Prefeitura de Maceió

COMPARTILHAR